Categorias
Romance

Menos intimidade = mais romantismo?

ão sou parte de um casal comum, daqueles que fazem xixi de porta aberta, nem ficam conversando um com o outro enquanto estão no banheiro. Isso porque o digníssimo acha que toda essa intimidade é brochante.

Aparentemente, existe uma fantasia masculina de que, se eles não souberem da nossa higiene pessoal e da nossa vida ginecológica, seremos sempre atraentes. No começo do namoro, tudo bem, acho que as duas partes têm vergonha daquele arroto inesperado, ou de dizer que está com dor de barriga. Mas, depois de anos morando juntos, essa magia do ser que não defeca vai por descarga abaixo, e os detalhes da convivência vão deixando o casal mais à vontade.


É só uma questão de otimizar o tempo do casal no banheiro…

Há realmente essa quebra da atração entre os casais depois do contato com os odores alheios? O romantismo continuaria, mesmo com a convivência, desde que não colocássemos pacotes de absorventes íntimos no carrinho de compras? Sei que vocês homens dificilmente vão perguntar por pura curiosidade, mas às vezes a gente se pega explicando – ainda que pra provar nossa tortura – como é um Papanicolau. É assim tão asqueroso?

Eu, na verdade, sou a parte do casal que fala das intimidades e que arrota na frente do outro. Eu sei, eu sei que é falta de educação…acontece que, se estou em casa e acabei de tomar aquele guaranazinho borbulhante, o que tem de mais nisso? Pior seria a flatulência.

Não adianta eu explicar que isso faz parte da nossa vida, meu amado quer manter distância dessa intimidade. O próprio me sugeriu que pesquisasse entre o público do Diário de Casal qual a opinião masculina a respeito.

Então, caros leitores, seria de grande valia pra minha vida amorosa saber se é normal que um homem não queira ouvir falar de menstruação, prisão de ventre, exames ginecológicos e aplicadores de creme vaginal. Aguardo manifestações de repúdio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *